domingo, junho 16, 2024
spot_img
InícioEspecialidadesGinecologia e ObstetríciaExames de pré-natal: você sabe para quê serve cada um deles?

Exames de pré-natal: você sabe para quê serve cada um deles?

Dia 15 de agosto é comemorado o Dia da Gestante. A data, que faz parte do calendário Nacional da Saúde, foi criada para lembrar da importância do cuidado e da assistência à mulher durante esse importante período da vida. O acesso aos serviços de saúde durante a gestação são cruciais para garantir a saúde da mãe e do bebê, e podem ser o fator decisivo para que ocorra tudo bem durante a gravidez, o parto e o pós-parto.
De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 830 gestantes morrem todos os dias no mundo em decorrência de alguma complicação relacionada à gravidez e ao parto. A redução das mortalidades materna e infantil é um desafio mundial e mobiliza órgãos e entidades de saúde em campanhas de conscientização sobre a importância do pré-natal e do acompanhamento adequado durante a gestação.
Segundo a médica e diretora técnica do Laboratório Lustosa, Luisiana Vieira, os exames pedidos durante o acompanhamento do pré-natal são uma estratégia muito eficaz de prevenção de doenças e de possíveis complicações que poderiam agravar o quadro de saúde tanto da mãe quanto do bebê.

 

“Durante o acompanhamento de pré-natal, são solicitados importantes exames para avaliar as condições de saúde da mulher e da criança que está sendo gestada. Cada procedimento avalia uma função ou pode identificar uma alteração específica. Se realizados no período certo e conforme a orientação do médico, os procedimentos ajudam a detectar alterações precocemente e evitar o desenvolvimento de muitas doenças”, explica.

 

Além dos exames para atestar a saúde física da mulher, aspectos socioculturais também podem influenciar no andamento de uma gravidez. Por isso, a OMS recomenda que a mulher faça pelo menos oito visitas ao médico durante a gestação para a garantia de uma experiência positiva para a gestante e a criança.

 

Abaixo você confere os exames laboratoriais e vacinas indicados para a gestante e quais suas indicações:

 

Tipagem sanguínea e fator Rh

Esses exames permitem verificar o tipo e o fator sanguíneo da gestante. Essa pesquisa é importante para investigar a possibilidade de incompatibilidade entre o fator sanguíneo dela e do bebê.

 

Hemograma

Permite verificar se a gestante está com anemia ou infecções. Também avalia se há deficiência de plaquetas importantes para a coagulação sanguínea.

 

Glicemia e curva glicêmica – Teste oral de tolerância à glicose

Servem para dosar os níveis de açúcar no sangue e para diagnóstico de diabetes e diabetes mellitus gestacional.

 

Exame de urina e urocultura

Avaliam a função renal, além de detectar possíveis infecções e outras doenças que provocam a perda de proteína pela urina.
Sorologia rápida de Sífilis e VDRL

Servem para diagnosticar a sífilis, doença que aumenta o risco de parto prematuro e prejudica o crescimento intrauterino.

HIV 1 e 2

Atesta se a gestante é portadora do vírus HIV. O teste é importante pois, caso o resultado seja positivo, o médico recomendará medidas para evitar a transmissão da mãe para a criança.

Testes para hepatite B (HBsAg) e Hepatite C (anti-HCV)

Verificam se a mãe possui a doença que pode causar malformações no feto.

Sorologia para rubéola e toxoplasmose

Permite o diagnóstico das duas doenças. Para a rubéola não existe tratamento durante a gravidez, no entanto, a toxoplasmose pode ser tratada, o que ajuda a prevenir malformações fetais.


Pesquisa de estreptococo do grupo B

Atesta se a mãe possui a bactéria do tipo pesquisado. Em caso de resultado positivo, uma série de medidas podem ser adotadas para impedir que a criança tenha contato com o bactéria, o que poderia causar várias doenças, incluindo meningite e pneumonia.

 

Teste de malária (Para gestantes da região Amazônica)

Verifica se a gestante possui a doença. É indicado apenas para a região Amazônica.

 

VACINAS

    • – Gripe: recomendada para todas as gestantes.

– Antitetânica (dT): protege mãe e filho contra o tétano. A gestante que já recebeu a vacina, mas que a última dose tiver sido aplicada há mais de 5 anos, deve receber uma dose de reforço. A gestante não vacinada deve receber a imunização completa.

– Hepatite B: Se não tiver sido vacinada, a gestante deverá tomar as três doses da vacina.

*Fontes: Ministério da Saúde/Caderneta da Gestante e OMS (Organização Mundial de Saúde)

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -spot_img

Mais Lidos