domingo, junho 16, 2024
spot_img
InícioCOVID-19Selo atesta que empresas cumprem protocolos contra a Covid-19

Selo atesta que empresas cumprem protocolos contra a Covid-19

Com o agravamento da pandemia do Covid-19 no Brasil e as constantes restrições de funcionamento dos diversos setores da economia para conter o avanço do vírus entre os brasileiros, há mais de um ano as empresas seguem driblando as dificuldades e os prejuízos amargados em seus negócios. Segundo dados divulgados em abril pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o acumulado de vendas registrado em 2021 revela um percentual de queda na ordem de 2,1% nas vendas.

 

Somado à perda do poder de compra, o comércio ainda enfrenta o medo dos consumidores que, diante da insegurança pelo contágio, temem frequentar os estabelecimentos. Segundo uma sondagem realizada FGV Ibre (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas), a crise sanitária e inibiu mais de 50% dos consumidores que deixaram de circular nos locais e consumir.

 

Diante desse cenário, como as empresas podem realmente assegurar que adotam as medidas de preventivas para cuidar da saúde de seus clientes e funcionários? Ciente das dúvidas que surgem em função dos protocolos de recomendações para atividades econômicas durante a pandemia indicado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e dos órgãos estaduais, a Healthy Building Certificate, empresa que desde 2014 realiza certificações que analisam as questões de saúde e bem-estar das edificações, criou o selo HBC Covid-19. No período de 1 ano, a HBC já concedeu o selo para mais de 500 estabelecimentos brasileiros e americanos cujas empresas passaram pelo processo de análise para atestar que seguem rigorosamente os protocolos de limpeza e sanitização.

 

Em Minas Gerais, todas as 20 unidades das lojas Riachuelo foram certificadas com o HBC Covid-19. “O selo é uma garantia que as empresas cumprem os protocolos, comprovando sua preocupação e seu compromisso em proporcionar segurança em suas operações”, afirma Allan Lopes, fundador e diretor global da Healthy Building Certificate, que atua no Brasil e no exterior.

 

Segundo Lopes, a motivação para desenvolver o selo foi pautada em dois olhares. De um lado, a dificuldade que as empresas relatavam quanto ao entendimento sobre os protocolos de segurança solicitados pelos órgãos reguladores. Do outro, a apreensão mediante o afastamento de seus clientes, quedas nas vendas e o compromisso em oferecer as condições adequadas de trabalho e de consumo. “Enquanto toda a população brasileira não for vacinada, é normal que os trabalhadores de serviços presenciais se sintam inseguranças, como também os consumidores prorroguem sua presença na economia de forma presencial. Por isso, implementamos nossa experiência para reunir, em um único documento, as medidas indicadas tanto pela Anvisa, como também o Centro de Prevenção e Controle de Doença (CDC), dos Estados Unidos”, relata o diretor. “Atuamos rapidamente diante de necessidade que detectamos”, complementa.

 

Os protocolos que regem a conquista do selo HBC Covid-19 são voltados especialmente para lojas do comércio em geral, restaurantes, templos religiosos, escritórios, rede hoteleira, consultórios e estabelecimentos de ensino, entre outros. A certificação compreende desde ambientes com maior complexidade, analisando até mesmo a qualidade do ar presente no ambiente. Após implantar e validar todas as medidas indicadas pela HBC, as empresas adquirem o direito de usar a autenticação pelo período de um ano.

 

“Em menos de um ano, só no Brasil, já certificamos cerca de 360 empresas que atuam como grandes redes de varejo, hotéis e escritórios”, pontua Marcos Casado, CEO da empresa no Brasil. A certificadora também atua nos Estados Unidos, onde também concedeu o selo para mais de 250 hotéis, além de profissionais que atuam na Ásia e Europa e que trabalham para implementar os mesmos processos de compliance.

 

No contato com as empresas, Allan Lopes e Marcos Casado avaliam que a obtenção do selo conquistou relevância em duas frentes principais. No tocante aos negócios, revela-se como chancela para que os consumidores possam frequentar os ambientes sem o medo iminente do contágio. Entretanto, perceberam também que grande parte dos certificados procuraram pela HBC como uma forma de expressar seu compromisso diante do quadro de insegurança instaurado pela Covid-19 no Brasil. “Tivemos um caso de um hotel que, depois de divulgar a conquista do selo, conseguiu elevar o seu número de hóspedes”, relembra Allan Lopes. Ao mesmo tempo, compartilham a consciência coletiva que perceberam após o contato com empresários de diferentes setores. “Muitos implementam o protocolo e não fazem questão de obter o selo ou divulgar para seu público. Saber que não estão disseminando o vírus agrega muito mais valor para eles. Zelar pela vida dos funcionários e dos clientes é a principal motivação de muitos que nos procuraram”, complementa Casado.

 

Medidas de prevenção

Entre as instruções indicadas pela HBC, estão o treinamento de colaboradores sobre os procedimentos de limpeza, o uso de máscara de proteção durante todo o período de trabalho, a lavagem correta das mãos com água e sabão, por pelo menos 20 segundos várias vezes ao dia, a proteção e a limpeza de solas de sapato antes de entrar no ambiente e o uso de lenços descartáveis para a higienização constante de superfícies. “É fundamental que todos essas obrigações, já tão conhecidas, sejam rigorosamente seguidas”, evidencia o fundador Allan Lopes.

 

Além disso, a HBC alerta sobre a importância da ventilação natural no ambiente e de realização periódica de manutenção nos sistemas de ar-condicionado. “Parece óbvio, mas para muitos ainda não é. Por se tratar de um vírus que se espalha facilmente, a qualidade do ar é preponderante para não existir o risco de contágio”, complementa Marcos Casado.

 

Recebendo o Selo HBC Covid-19

Para obter o selo, a empresa auditada precisa seguir rigorosamente um dos três protocolos estabelecidos pela HBC. No Protocolo Covid Básico são levados em consideração os parâmetros da legislação local e recomendações da Anvisa para limpeza e desinfecção, por meio dos produtos indicados. Já no Protocolo Covid Plus, são analisados os parâmetros do protocolo anterior e as estratégias de uso contínuo para tratamento da qualidade do ar.

 

A certificadora ainda possui o Protocolo Total Health, que inclui todos os cuidados do protocolo Covid Plus e analisa questões relacionadas com a iluminação, acústica, campos eletromagnéticos, qualidade da água e do ar, produtos de limpeza, paisagismo e áreas para atividades físicas e convivência do ambiente.

 

A primeira etapa, batizada como Conscientização, engloba o entendimento das necessidades de mudanças, por parte do postulante, para se enquadrar no processo. O próximo passo é o Treinamento, quando os protocolos são estudados e a equipe de limpeza é orientada sobre o modo de operação a ser seguido. A terceira etapa, que fecha o ciclo, é a Avaliação para entender se todas as medidas promovidas respondem aos rigorosos critérios condicionados ao selo. Para tanto, a Health Healthy Building Certificate analisa toda documentação que engloba a metodologia de certificação. “O tempo de execução da metodologia é relativamente curto e vai de acordo com o ritmo da empresa que postula o selo”, finaliza Casado.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -spot_img

Mais Lidos