sexta-feira, junho 14, 2024
spot_img
InícioEspecialidadesCirurgia plásticaCirurgia plástica pode ajudar na eliminação da enxaqueca

Cirurgia plástica pode ajudar na eliminação da enxaqueca

A enxaqueca é uma das doenças mais incapacitantes, conforme a Organização Mundial de Saúde (OMS), afetando pessoas entre 25 e 45 anos, sendo que, entre mulheres, o problema chega a até 25%, mais que o dobro da prevalência masculina, segundo o Ministério da Saúde. As crises de enxaqueca vão além de um simples desconforto, comprometendo a qualidade de vida de quem precisa conviver com o problema. Cerca de 30 milhões de brasileiros sofrem com a enxaqueca, conforme a Sociedade Brasileira de Cefaleia. O tratamento cirúrgico ganha espaço no Brasil, como alternativa para eliminar ou amenizar a doença.

 

De acordo com o cirurgião plástico do Hospital Madre Teresa e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), Pedro Nery Bersan, a maior parte das crises de enxaqueca é desencadeada pela compressão e irritação da inervação facial e liberação de neurotoxinas mediadoras de dor, principalmente de um nervo craniano chamado Trigêmeo. Vários pontos na face funcionam como gatilhos para a dor de cabeça, principalmente na região da testa (frontal), lateral da cabeça (temporal), nuca (occipital) e atrás dos olhos e nariz (cefaleia rinogênica) e a cirurgia plástica pode auxiliar no tratamento e até na eliminação da enxaqueta.
”A cirurgia é indicada para pessoas que não apresentam resposta adequada aos tratamentos medicamentosos. O procedimento é minimamente invasivo, logo embaixo da pele, proporcionando resultados eficientes”, explica. Segundo o médico, a técnica de descompressão nervosa foi desenvolvida pelo cirurgião plástico Bahman Guyuron, em Cleveland, nos EUA, em 2000.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -spot_img

Mais Lidos