terça-feira, março 5, 2024
spot_img
InícioEspecialidadesDermatologiaEstresse gerado pela pandemia pode causar queda acentuada de cabelo

Estresse gerado pela pandemia pode causar queda acentuada de cabelo

A pandemia do novo coronavírus impacta a população nos mais diversos âmbitos, da saúde, profissional, social, econômico, afetivo e familiar. As incertezas diante de algo totalmente inédito junto ao medo, e a importância do isolamento social para conter a transmissão direta pela Covid-19, podem gerar uma alta carga de estresse. Essa sobrecarga emocional pode se manifestar no corpo como, por exemplo, com o surgimento de espinhas e a queda acentuada dos fios.

 

O estresse pode causar o eflúvio telógeno e a alopecia areata porque o organismo passa a produzir doses elevadas de cortisol (hormônio do estresse) que desencadeiam quadros inflamatórios e prejudicam o ciclo de crescimento dos fios. “Paralelamente a isso, a sobrecarga emocional acelera a produção de estriol (um dos grupos de hormônios do estrogênio) que impede a entrada e absorção de nutrientes na região capilar”, explica o cirurgião plástico André Giannini, membro da Associação Brasileira de Cirurgia da Restauração Capilar (ABCRC) e membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica(SBCP).

 

O eflúvio telógeno e a alopecia areata estão relacionados a alguns fatores, mas ambas as condições podem ser desencadeadas ou agravadas por esse mecanismo fisiológico de tensão. “A alopecia areata é uma doença inflamatória ligada a aspectos genéticos e imunológicos (doenças autoimunes, como vitiligo e lúpus), que pode piorar com o quadro de ansiedade. Os fios costumam cair em regiões delimitadas e circunscritas. Já o eflúvio telógeno consiste na queda de fios em várias regiões, com diminuição da densidade capilar, e pode ser agudo ou crônico. O eflúvio pode ser estimulado pelo pós-parto, febre, infecção, dietas muito restritivas, doenças metabólicas, cirurgia bariátrica, estresse e outras razões”, elucida o médico.
Embora o atual cenário cause insegurança, o médico recomenda manter a calma, fazer em casa atividades prazerosas nas horas livres, como cozinhar ou brincar com os filhos, e buscar ajuda médica. “A telemedicina com consultas on-line foi regulamentada e adotada em nossa clínica para auxiliar em momentos como esse, para consulta, suporte, monitoramento, diagnóstico e pós-operatório. Mas é importante frisar que as clínicas e consultórios estão retomando suas atividades aos poucos, com todos os cuidados necessários para garantir a segurança biológica dos pacientes, seguindo as recomendações de associações médicas”, assegura Giannini.

Com relação às abordagens clínicas, existem terapias modernas e eficazes, minimamente invasivas, que estimulam o crescimento e a densidade dos fios.

O tratamento com laser e LED, também conhecido como fototerapia, aumenta a elasticidade cutânea e a produção do colágeno – fundamental para a sobrevida do folículo piloso. “A mesoterapia capilar estimula os folículos, reduz a queda dos fios e promove seu crescimento e fortalecimento por meio da aplicação direta de medicamentos no couro cabeludo, potencializando sua ação e diminuindo seus efeitos colaterais, pois agem diretamente nos folículos do couro cabeludo”, descreve André Giannini.

Há ainda o microagulhamento capilar que estimula a produção de colágeno e queratina, essenciais para aumentar a sobrevida do folículo piloso e formar fios, e o MMP (Microinfusão de Medicamentos na Pele), que introduz vitaminas e medicamentos (finasterida, minoxidil, biotina, latanoprosta) com microagulhas automatizadas diretamente nas camadas mais superficiais da derme no couro cabeludo, além de tratamentos orais e tópicos.

 

“A finasterida é uma alternativa, trata-se de um medicamento oral, usado no combate ao avanço da calvície, que freia a velocidade da queda dos fios e pode reverter o processo de miniaturização dos mesmos. Já o uso tópico do minoxidil promove uma vasodilatação local e estimula a multiplicação das células da raiz do pelo. Temos como novidade o minoxidil oral, que facilita a entrega de nutrientes necessários aos bulbos capilares”, afirma o especialista.

Dr. André Giannini ressalta que dependendo do quadro, os procedimentos podem ser combinados para obter resultados mais satisfatórios.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -spot_img

Mais Lidos