sábado, março 2, 2024
spot_img
InícioPela cidadeDoença Falciforme é tema de simpósio nacional em Belo Horizonte

Doença Falciforme é tema de simpósio nacional em Belo Horizonte

Belo Horizonte vai sediar, de 9 a 11 de novembro, o IX Simpósio de Doença Falciforme. Promovido pelo Ministério da Saúde (MS), em parceria com a Fundação Hemominas, Prefeitura de Belo Horizonte e Secretarias de Saúde de Belo Horizonte e de Estado de Minas Gerais, DREMINAS e FENAFAL, o simpósio contempla a necessidade de se retomar e reestruturar o fluxo da política de cuidado integral aos pacientes com doença falciforme, reunindo palestrantes renomados e com experiência nos temas abordados, entre eles diagnóstico e tratamento das complicações relacionadas à DF, bem como a triagem neonatal, transplantes de medula óssea e novos tratamentos para pacientes com doença falciforme.

O evento é gratuito e direcionado aos profissionais da saúde da atenção básica e especializada, bem como os da comunidade acadêmica e estudantes, além de pacientes usuários dos serviços prestados pelo SUS. Está prevista a presença de convidados nacionais e internacionais, a participação de trabalhadores do SUS e de representantes das associações de pessoas com doença falciforme de todos os estados brasileiros.

De acordo com o Ministério da Saúde, a doença falciforme (DF) é a doença genética e hereditária mais predominante no mundo. Por ser de origem africana, a doença falciforme é mais prevalente (mas não exclusiva) em pretos e pardos (negros), sendo de alta relevância epidemiológica. Estima-se que existam cerca de 60 mil pessoas com DF no Brasil.

As manifestações clínicas da doença ocorrem a partir do primeiro ano e estendem-se por toda a vida. Ela se caracteriza pela alteração dos glóbulos vermelhos do sangue (hemácias). Estas células normalmente são arredondadas, mas nas pessoas com DF, em condições adversas (frio, desidratação, estresse etc.), assumem um formato de foice, o que dificulta a circulação e a chegada do oxigênio aos tecidos, desencadeando uma série de sinais e sintomas como dor crônica, infecções e icterícia.

Apesar de particularidades que as distinguem e de graus variados de gravidade, as diferentes formas da doença falciforme caracterizam-se por complicações que podem afetar quase todos os órgãos e sistemas, com expressiva morbidade, redução da capacidade de trabalho e da expectativa de vida.

Mais informações no site do evento: http://simposiofalciforme.hemominas.mg.gov.br/s/

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -spot_img

Mais Lidos