domingo, março 3, 2024
spot_img
InícioPara VocêMulherPandemia provoca apagão de diagnóstico de câncer de mama

Pandemia provoca apagão de diagnóstico de câncer de mama

Exame de mamografia – Crédito: Depositphotos

 

Dados do Conselho Federal de Medicina (CFM) revelam que a quantidade de mamografias de rastreamento caiu pelo menos 50% em Belo Horizonte, desde o início da pandemia da covid-19. Mulheres como a educadora infantil Valéria Borges, 52 anos, estão evitando ir ao médico com receio da contaminação e, com isso, deixaram de lado os exames de rotina. No geral, houve uma queda de 27 milhões de exames, cirurgias e outros procedimentos eletivos não programados ou que não são considerados de urgência e emergência.

 

De acordo com o CFM, a quantidade de mamografias de rastreamento no Brasil caiu 48%, segunda maior queda por tipo de procedimento, ficando atrás apenas do Papanicolau, com 51%. Essa situação, segundo especialistas, é bastante preocupante, uma vez que pode agravar a situação do câncer de mama, o mais comum no Brasil.

 

No ranking das áreas médicas mais acometidas (o SIA-SUS não utiliza a nomenclatura médica, mas a Classificação Brasileira de Ocupações), estão o serviço de radioterapeuta, que teve queda de 92%; em segundo lugar citopatologista, com 51%; em quarto lugar, com redução de 39%, estão os atendimentos dos anatomopatologista; em sétimo lugar radiologia e diagnóstico com imagem, com redução de 30% e que está em 6º lugar. Todos eles, de certa forma, ligados ao diagnóstico e/ou tratamento do câncer de mama.

 

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, informa que a procura por mamografia desde o começo da pandemia foi expressiva. Em 2019: cerca de 91 mil. Já em 2020, cerca de 50 mil e este ano, 1: cerca de 37 mil. O município manteve a oferta de exames de mamografia, mas foi identificada uma redução na procura pelas mulheres para realização do exame. Houve um ajuste de oferta em função da demanda diminuída e com a oferta maior que a demanda e, em 2020, a Secretaria atendeu a fila residual e a partir de setembro e outubro daquele não havia nenhuma paciente aguardando para realização do exame. A PBH reforça que o exame de mamografia é um importante instrumento para o diagnóstico precoce, contribuindo para um tratamento eficaz da paciente. Em Belo Horizonte, as mamografias são agendadas pelos Centros de Saúde.

 

Atuante na prevenção e no tratamento do câncer de mama, a Associação de Prevenção do Câncer na Mulher (ASPRECAM) alerta que os prejuízos para o diagnóstico tardio podem ser irreparáveis para a mulher. Segundo o médico, fundador da Organização e atual Superintendente Técnico Thadeu Provenza comenta que os danos são irreparáveis.

 

“No Movimento Mamamiga Pela Vida, percebemos que os desafios com a educação, a prevenção e o tratamento do câncer foram severamente impactados com a pandemia. Já estamos em uma fase melhor, mas sabemos que os resultados aparecerão, porque muita gente se descuidou. Por isso, estamos acelerando o processo de digitalização de nossas ações. Acreditamos que é na tecnologia que podemos tentar reduzir o prejuízo. Nosso modelo didático será informatizado, inclusivo e ajudará ainda mais a ensinar a fazer o toque das mamas. Estamos também finalizando uma plataforma de ensino a distância que vai capacitar os gestores públicos de modo ainda mais completo, ágil e permanente” comenta, Thadeu.

 

Diversos estudos revelam que o sobrepeso e a obesidade, aliadas a uma rotina sem atividades físicas, aumentam os riscos de câncer de mama e proporcionam uma má qualidade de vida para quem está em tratamento. Para a presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia – Regional Minas Gerais, Annamaria Massahud, manter hábitos saudáveis é a melhor forma de prevenção à doença.

 

“Nosso alerta é que quanto antes a pessoa mude o estilo de vida dela, melhor para sua saúde. Isso envolve uma alimentação saudável, uma rotina de atividade física, a manutenção do peso abaixo da obesidade e, obviamente, evitar bebidas alcoólicas e tabagismo. É necessário ter uma consciência da saúde preventiva como um todo para que haja um equilíbrio no organismo e, consequentemente, redução do risco do desenvolvimento da doença”, explica.

 


Vacinação do Covid-19 e tratamento

Em relação à vacinação do Covid-19, a SBM também reforça que é primordial que todas as mulheres se vacinem, inclusive as diagnosticadas com câncer de mama, pois não há nenhuma contraindicação. Lembrando que as pacientes compõem o grupo de risco, muitas com a imunidade baixa devido ao tratamento que estão sendo submetidas.

 

Sobre o câncer de mama

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação desordenada de células anormais da mama, que forma um tumor com potencial de invadir outros órgãos. Há vários tipos de câncer de mama. Alguns têm desenvolvimento rápido, enquanto outros crescem lentamente. A maioria dos casos, quando tratados adequadamente e em tempo oportuno, apresentam bom prognóstico. O câncer de mama também acomete homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença. O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece tratamento para o câncer de mama em Unidades Hospitalares especializadas.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -spot_img

Mais Lidos