Início Notícia Contagem decreta emergência para evitar epidemia de dengue e chikungunya

Contagem decreta emergência para evitar epidemia de dengue e chikungunya

0
186
Mosquito macro photography

Contagem decretou situação de emergência em saúde pública nessa segunda-feira (20/3) devido aos elevados índices de dengue e chikungunya no município. A medida vale por 120 dias e vai garantir mais assistência, mais segurança na compra de insumos e medicamentos, mais mutirões de limpeza em todas as regionais, além da aquisição de inseticidas para realização do fumacê, que deixou de ser oferecido pelo governo do Estado.

A Prefeitura trabalha no enfrentamento das arboviroses (dengue, zika e chikungunya) que avançam em Minas e nas cidades da região metropolitana. Contagem começou a enfrentar alto risco de epidemia de arboviroses neste mês de março. De acordo com dados monitorados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), o município apresenta aumento de positividade nos casos de dengue de 18% e de 53% de chikungunya, nas últimas quatro semanas.

Até a décima semana epidemiológica, encerrada no dia 13 de março, o total de casos notificados de dengue foi de 1.266, sendo 127 confirmados. Estes dados já representam 51% dos casos notificados durante todo o ano de 2022, visto que o ano possui 52 semanas epidemiológicas. Neste início de ano, a curva de casos prováveis da doença é similar a de 2019, quando houve a pior epidemia de dengue em Contagem.

Conforme os indicadores das arboviroses, a situação dos distritos Nacional, Sede e Eldorado é de muito alto risco para a dengue. Os casos notificados, de acordo com os residentes destes distritos, indicam a necessidade de priorização de ações de controle e fortalecimento da assistência nestas regiões.

Outro dado alarmante, neste ano, o município já apresenta um aumento na notificação dos casos de chikungunya de 339% em relação ao ano passado. Em 2022, foram notificados 58 casos e em 2023 já são 255 casos. Os distritos Nacional, Eldorado e Sede concentram 79% dos casos prováveis de chikungunya.

Além da falta dos insumos para o controle do vetor das doenças, o mosquito Aedes aegypti, como é o caso de inseticidas para o fumacê, o atraso no resultado dos exames para chikungunya pela Fundação Ezequiel Dias, que está realizando a sorologia de forma escalonada, considerando o aumento de amostras enviadas por todo o Estado, transformou-se em um problema recorrente.

Ações de prevenção 

A Prefeitura tem realizado uma série de ações para o combate às arboviroses no município. O Plano de Contingência para Controle das Arboviroses Urbanas elenca todas as ações das áreas assistenciais e de vigilância para o enfrentamento da epidemia. No momento, estão sendo realizados mutirões de limpeza em todas as regionais. Cada final de semana é feito um cronograma de acordo com as áreas mais críticas de notificações de casos de dengue.

Regularmente são feitas as visitas domiciliares dos agentes de combate às endemias para o tratamento focal do mosquito, a intensificação das visitas em áreas prioritárias, chamada de “pentes finos”, ações intersetoriais em imóveis com grande acúmulo de materiais que podem servir como foco do Aedes aegypti, aplicação de inseticida e monitoramento quinzenal das 512 ovitrampas espalhadas pela cidade para controle da infestação das larvas do mosquito.

A capacitação de toda a rede assistencial também é realizada com frequência pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Recentemente, foram adquiridos equipamentos para leitura de hematócrito, que é o parâmetro utilizado para diagnóstico do paciente. O monitoramento dos indicadores do plano de contingência é feito semanalmente, bem como a revisão dos fluxos assistenciais da rede SUS Contagem.

Em caso de piora da epidemia, o município está preparado para a criação de Unidades de Apoio Assistencial (UAAs) em pontos estratégicos para atendimento aos pacientes. Está prevista a organização de 51 UAAs, distribuídas nos oito distritos sanitários. A implantação será efetivada gradualmente de acordo com a análise do cenário epidemiológico. Na UAA será oferecida a área de terapia de reidratação oral ou hidratação venosa, além de espaço para coleta de amostra laboratorial – dosagem de hematócrito.

A Prefeitura tem se preparado para o combate às arboviroses, mas é preciso a ajuda da população para somar esforços e acabar com os focos do mosquito.

Casos Notificados de Arboviroses em Contagem: 

Em 2019

  • notificados 54.149 casos de dengue, sendo 37.329 confirmados, e 11 óbitos.
  • notificados 113 casos de chikungunya, sendo 33 confirmados. Nenhum óbito.
  • notificados 148 casos de zika, sendo 5 confirmados. Nenhum óbito.
  • notificados três casos de febre amarela, nenhum confirmado.

Em 2020

  • notificados 3213 casos de dengue, sendo 1023 confirmados, e um óbito.
  • notificados 27 casos de chikungunya, sendo dez confirmados. Nenhum óbito.
  • notificados 23 casos de zika, sendo quatro confirmados. Nenhum óbito.
  • notificados cinco casos de febre amarela, nenhum confirmado.

Em 2021

  • notificados 1225 casos de dengue, sendo 182 confirmados. Nenhum óbito.
  • notificados 23 casos de chikungunya, sendo seis casos confirmados. Nenhum óbito.
  • notificados 23 de zika, sendo quatro casos confirmados. Nenhum óbito.
  • notificados dois casos de febre amarela, nenhum confirmado.

Em 2022

  • notificados 2452 casos de dengue, sendo 270 casos confirmados. Nenhum óbito.
  • notificados 48 casos de chikungunya, sendo 23 casos confirmados. Nenhum óbito.
  • notificados sete casos de  zika, nenhum confirmado. Nenhum óbito.
  • notificados três casos de febre amarela, nenhum confirmado.

Até o momento, neste ano de 2023 foram:

  • notificados 1.266 casos de dengue, sendo 127 casos confirmados. Nenhum óbito.
  • notificados 255 casos de chikungunya, sendo 74 casos confirmados. Nenhum óbito.
  • notificados seis casos de  zika, nenhum confirmado.
  • notificados um caso de febre amarela, foi descartado.

O que são arboviroses? 

As arboviroses são um conjunto de doenças causadas por vírus que infectam as pessoas e também animais pela picada do mosquito, o principal vetor no Brasil, responsável pela transmissão dos vírus da dengue, zika e chikungunya, além da febre amarela urbana.

A principal forma de controle de arboviroses é por meio do combate ao mosquito Aedes Aegypti. Os ovos do mosquito se desenvolvem na água parada e podem sobreviver por um ano no ambiente. A maioria dos focos de proliferação está nas residências e, por isso, é essencial que a população fique atenta aos locais que possam acumular água.

O controle das arboviroses é um desafio de saúde pública, portanto é necessário que todos contribuam para evitar a reprodução do Aedes Aegypti.

Medidas de prevenção para adotar em casa:
  • Tampar tonéis e caixas d’água
  • Manter calhas sempre limpas
  • Deixar garrafas sempre viradas com a boca para baixo
  • Deixar ralos limpos e com aplicação de tela
  • Limpar semanalmente ou preencher pratos de vasos de plantas com areia
  • Limpar os potes de água para animais
  • Retirar água acumulada na área de serviço, recipiente de degelo de geladeiras e de trás da máquina de lavar roupa
  • Sintomas das arboviroses

A SMS também ressalta que é importante ficar atento aos sintomas das arboviroses e procurar atendimento médico na Unidade Básica de Saúde (UBS) de referência.

Dengue 

Os principais sintomas da dengue são (2 a 7 dias):

  • Febre alta > 38°C
  • Dor no corpo
  • Dor de cabeça
  • Dor atrás dos olhos
  • Mal-estar
  • Náuseas
  • Manchas vermelhas na pele     

Zika 

Os principais sintomas de zika são (3 a 7 dias):

  • Erupção na pele com coceira
  • Febre baixa ou ausência de febre
  • Olhos vermelhos (sem secreção ou coceira)
  • Dor nas articulações e músculos
  • Dor de cabeça

Chikungunya 

Os principais sintomas de chikungunya são (3 a 10 dias):

  • Febre alta >38°
  • Dor forte nas articulações (com ou sem inchaço)
  • Manchas vermelhas na pele
  • Dor de cabeça

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui