sexta-feira, maio 24, 2024
spot_img
InícioSaúde e bem-estarLinguagens do amor ajudam na conexão com quem sofre de Alzheimer

Linguagens do amor ajudam na conexão com quem sofre de Alzheimer

Saber lidar de forma amorosa com as pessoas que sofrem de Alzheimer é fundamental para o bem-estar tanto do paciente, quanto do cuidador. Por isso, ao pensar naqueles que acompanham de perto o diagnóstico e o desenvolvimento da doença, o médico especialista em saúde mental Edward G. Shaw, em conjunto com o conselheiro conjugal Gary Chapman e a mestre no campo de educação em saúde, Deborah Barr, lançam pela Mundo Cristão o livro Mantenha vivo o amor enquanto as memórias se apagam. 

Nesta obra multidisciplinar, os autores compartilham experiências reais, além de apresentar conselhos práticos para os cônjuges, familiares, cuidadores e profissionais de saúde envolvidos no zelo de portadores do Alzheimer e outros doenças neuropsiquiátricas. Ao longo dos capítulos, Chapman também soma o conteúdo ao apresentar como os conceitos das cinco linguagens do amor  podem ajudar os leitores a enfrentar a demência: mantendo uma conexão saudável e carinhosa com os pacientes sempre que fizer atos de bondade, quando usar palavras de afirmação, por meio de toque físico, presentes, entre outros.

Confira abaixo alguns desses exemplos que podem ser aplicados no cuidado diário de quem sofre do transtorno neurodegenerativo progressivo.  E saiba como dizer “eu te amo” também por meio de atitudes:

  • Atos de bondade e de serviços: olhe nos olhos da pessoa enquanto fala com você, sem se importar com o que ela diz ou como diz. Também inclua a pessoa nas conversas – em vez de falar sobre ela, como se não estivesse presente; 
  • Palavras de afirmação: responda toda pergunta repetida como se tivesse sido feita pela primeira vez. Converse com a pessoa (ainda que ela não consiga conversar de volta) sobre a vida dela, seu crescimento, casamento, filhos, netos, trabalhos e hobbies. Faça elogios a ela na frente de outros parentes; 
  • Receber Presentes: dê pedaço de chocolate, uma casquinha de sorvete, um biscoito ou qualquer outra coisa que ela goste. Também, coloque músicas dos anos de sua adolescência ou juventude para que a pessoa possa ouvir; 
  • Momentos de qualidade: leia para quem está com a demência ou, se o próprio conseguir, peça para que ele leia para você ou para um neto. Faça um passeio de carro, conte histórias e assista um filme favorito muitas e muitas vezes.
  • Toque físico: segure a mão e dê uma caminhada. Dê um abraço (e beije, se for adequado). Sente-se perto e segure o paciente se ele estiver com medo, irritado ou agitado.

 

 Ficha técnica:
Título: Mantenha vivo o amor enquanto as memórias se apagam
SubtítuloAs 5 linguagens do amor para o cuidado com o Alzheimer
Autores: Gary Chapman, Deborah Barr e Edward G. Shaw
Editora: Mundo Cristão
Edição: 1.ª ed, 2023
Categoria: Relacionamentos
Páginas
: 256 

 

Sobre os autores: 

Gary Chapman é pastor e conselheiro conjugal há mais de 35 anos. É autor de inúmeros livros, sendo que seu livro As 5 linguagens do amor serve de inspiração a este. É casado com Karolyn, com quem tem dois filhos e três netos.

Deborah Barr é mestre no campo de educação em saúde e jornalista. Como principal escritora e coletora de informações para a equipe, este livro é basicamente escrito na “voz” dela.

Edward G. Shaw é médico e conselheiro na área de saúde mental. A ideia central deste livro foi inspirada em sua comovente história pessoal de cuidado com Rebecca, sua esposa, e em seu uso inovador das cinco linguagens do amor no aconselhamento sobre demência.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -spot_img

Mais Lidos